terça-feira, 26 de março de 2019

DEPOIS DO CICLONE MOÇAMBIQUE NÃO ESTA EM CONDIÇÕES DE PAGAR DIVIDAS OCULTAS

A activista do Fórum de Monitoria do Orçamento, em Maputo Denise Namburete, disse que: "Está na altura de as autoridades moçambicanas serem transparentes relativamente à dívida odiosa e deviam genuinamente investir todos os seus recursos na salvaguarda das vidas do povo de Moçambique e na integridade da nossa nação, e que não há hipótese de o país conseguir recuperar da magnitude do impacto do ciclone IDAI sem vencer a cultura de corrupção, que suga os recursos essenciais da infraestrutura pública que pode salvar vidas e potenciar o desenvolvimento".

Uma ONG Britanica também defendeu que moçambique nao esta em condições de continuar com esse processo de dividas odiosas dizendo que: "A devastação causada pelo ciclone Idai é mais uma razão para o povo moçambicano não ter de pagar um centavo dessas dívidas".

 "A economia moçambicana já foi suficientemente atingida por uma crise da dívida desencadeada por empréstimos secretos de 2 mil milhões dados por bancos britânicos", disse à Lusa Tim Jones, acrescentando que "há pelo menos 700 milhões de dólares desaparecidos, e uma investigação norte-americana alega que pelo menos 200 milhões foram gastos em subornos a banqueiros e políticos envolvidos nas transações".

  Para este economista, o facto de, três anos depois dos empréstimos terem sido divulgados, "a injusta situação da dívida não ter ainda sido resolvida é uma acusação maldita para a comunidade internacional em geral e para o Governo britânico em particular", até porque "o falhanço na resolução da crise da dívida nos últimos três anos pode prejudicar os esforços de reconstrução" dos estragos causados pelo ciclone Idai, que já matou cerca de 300 pessoas só em Moçambique, a que se juntam outras 300 no Zimbabwe e Malawi, afectando quase 3 milhões de pessoas, no total.

 "As pessoas estão agora mesmo a morrer em Moçambique por causa do ciclone e das inundações; as pessoas estão nos telhados à espera de serem salvas por ajuda que muitas vezes não chega; o povo precisa de uma resposta de emergência agora mesmo para sobreviver a esta crise", disse Anabela Lemos, da ONG Justiça Ambiental.

 O impacto do ciclone é "uma lembrança dura de que a crise climática está aí e que os países desenvolvidos precisam urgentemente de reduzir as suas emissões e parar de financiar a exploração de combustíveis fósseis", disse Anabela Lemos, apontando que "agora mesmo, o Governo britânico está a ponderar financiar a exploração de gás em Moçambique, quando o que precisamos é, em vez disso, de energias renováveis centradas nas pessoas".

 O ministro da Economia e Finanças Adriano Maleiane considerou recentemente, no Parlamento , que serão os tribunais britânicos a decidir se o Estado deve pagar esses empréstimos, no valor de cerca de 1,3 mil milhões de dólares, mas sobre os 727,5 milhões de dólares em títulos de dívida pública emitidos para substituir uma emissão obrigacionista da EMATUM, o Executivo diz que continua a negociar com os 'bondholders', os detentores desta dívida soberana.

 Em 2016, a revelação de que o Governo tinha prestado garantias do Estado em empréstimos contraídos em 2013 e 2014 levou à suspensão de vários apoios internacionais, incluindo do Fundo Monetário Internacional (FMI), causando uma quebra de confiança entre os doadores internacionais, o que contribuiu para a degradação das perspectivas económicas e atirou o país para o nível de 'default' (incumprimento financeiro) por parte das agências de notação financeira.

e voce acha que Moçambique deve pagar essas dividas?

segunda-feira, 25 de março de 2019

ONU lançou um novo apelo de financiamento de 282 milhões de dólares para apoio as vitimas do ciclone IDAI

O Subsecretário-geral da ONU,  para os assuntos humanitários Mark Lowcock, lançou  um novo apelo de financiamento que será usado em água potável, saneamento, educação e na reabilitação dos meios de subsistência das centenas de milhares de deslocados na sequência do ciclone IDAI.

Mark Lowcock frisou que serão lançados pedidos de ajuda internacional separados para o Zimbabwe e Malawi, países estes que também foram fortemente fustigados pelo ciclone IDAI.

De acordo com Mark Lowcock  os fundos para as vítimas do IDAI estão a começar a chegar, nomeadamente as 25 milhões de euros (cerca de 1700  milhões de meticais) canalizadas pelo Reino Unido, alertando, no entanto, que as verbas ainda estão longe de preencher as necessidades.

A directora executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, visitou a cidade da Beira (no centro de Moçambique), onde os efeitos do ciclone IDAI assumiram proporções devastadoras, e advertiu para a situação de urgência no terreno.

"É uma corrida contra o tempo", afirmou Henrietta Fore, numa referência à ajuda aos milhares de deslocados e ao trabalho de prevenção de doenças.

Segundo as Nações Unidas, o ciclone Idai afetou 1,85 milhões de pessoas em Moçambique, estimando-se que mais de 480 mil tenham sido desalojadas pelas cheias que submergiram e destruíram uma área de mais de 3.000 quilómetros quadrados.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, Zimbabwe e no Malawi fez pelo menos 762 mortos, segundo os balanços oficiais mais recentes.

Em Moçambique, o número de mortos confirmados subiu para 447, no Zimbabwe foram contabilizadas 259 vítimas mortais e no Malawi as autoridades registaram 56 mortos.


O Governo moçambicano adiantou que estes números ainda são provisórios, já que à medida que o nível da água vai descendo vão aparecendo mais corpos.

O apelo de ajuda de emergência lançado pela ONU e de 282 milhões de dólares (249 milhões de euros) para ajudar Moçambique a recuperar durante os próximos três meses da devastação provocada pela passagem do ciclone IDAI.

Paulo Zucula condenado a catorze meses de prisão (Multa)

Paulo Zucula condenado a catorze meses de prisão, convertidos em multa O antigo Ministro dos Transportes e Comunicações foi sentenciado, nesta segunda-feira, pelo Tribunal Judicial de Nhlamankulu, a 14 meses de prisão convertida em multa.

 Na leitura da sentença, a Juiza disse que pesavam sobre Paulo Zucula os crimes de abuso de cargo e remuneração indevida aos funcionários do Estado.

A remuneração indevida autorizada pelo antigo ministro, segundo a acusação, cifra-se em mais de dois milhões e 250 mil Meticais. De recordar que Paulo Zucula negou diante da juíza Zvika Cossa no passado dia 6 de Março que competia a ele, na qualidade de ministro, colher o parecer do seu homólogo das Finanças para viabilizar o pedido de aumento de subsídios.

No entender do antigo titular da pasta dos Transportes e Comunicações, cabia ao Conselho de Administração e ao Conselho Fiscal do IACM tramitar o expediente de modo a obter o parecer conjunto. Entretanto, ouvido como declarante, o antigo presidente do Conselho de Administração do IACM Aníbal Samuel desmentiu o ex-ministro dizendo que era da sua competência remeter o expediente ao ministro das Finanças para um parecer, à semelhança do que acontecera da primeira vez que foram fixados subsídios.

 “Dessa vez, o seu antecessor, o ministro António Munguambe, submeteu a proposta ao ministro das Finanças e só depois disso é que autorizou o pagamento. O ministro Zucula devia aprovar depois de ouvir o ministro das Finanças, mas não o fez”, disse o antigo PCA do IACM.

 Além de Paulo Zucula, no mesmo processo, foi condenada a ré Lucrécia Ndeve, ex-directora-geral do Instituto de Aviação Civil de Moçambique, IACM, a seis meses de uma pena substituída em multa e as outras duas rés foram absolvidas.

 Entretanto, os advogados de Paulo Zucula e Lucrécia Ndeve dizem que ainda vão analisar as sentenças depois decidiram se irão recorrer. (RM)

CRISTIANO RONALDO AJUDA AS VITIMAS DO IDAI NA BEIRA

Os jogadores da selecção nacional portuguesa, onde joga um dos melhores do mundo, Cristiano Ronaldo, autografaram camisolas que vão ser utilizadas para angariar receitas que permitam ajudar as vítimas do ciclone Idai, no país.

 A receita angariada com as camisolas autografadas pelos 24 jogadores, inclusive por CR7, que se encontram no estágio da selecção lusa, será integralmente entregue à Cruz Vermelha daquele país europeu. Esse será, certamente, o canal usado para enviar o resultado da solidariedade dos jogadores portugueses às vítimas do Idai, no Centro de Moçambique.

 Além desta ajuda, a Federação Portuguesa de Futebol vai também organizar um jogo solidário «Todos Moçambique», entre as equipas femininas de SL Benfica e Sporting CP.

 Segundo a informação daquela federação, o jogo realiza-se no próximo sábado, pelas 16 horas, no Estádio do Restelo, com os bilhetes a custarem 2,5 euros.

O jogo terá transmissão em directo na TVI, que também se à causa. A selecção portuguesa cumpre, neste momento, um estágio, antes de defrontar a Sérvia, amanhã, no segundo jogo da fase de qualificação para o Euro 2020.

ULTIMA HORA: ABEL XAVIER JÁ NÃO E TREINADOR DOS MAMBAS (SAIBA PORQUE?)

É facto que o contrato de Abel Xavier como seleccionador nacional é por objectivos, no caso concreto que era de levar a equipa de todos nós ao CAN-2019.

Mas também é facto que o objectivo foi falhado por Abel Xavier e seus pares, que assim terão que ser afastados do comando técnico.

Outro facto que se viu em Bissau é que os adeptos que compõem a onda vermelha foram se solidarizar com o técnico luso-moçambicano, mostrando seu apoio a este para que continue a frente dos destinos dos Mambas.

 “Queremos Abel Xavier! Queremos Abel Xavier! Queremos Abel Xavier!” e “Mesmo quando os outros já não te querem, nós vamos servir a ti e tu a selecção, Abel Xavier”, na tradução literal da música em ronga, eram os cânticos mais ouvidos pelos adeptos, que consideram que não devia se mudar de seleccionador, uma vez que esta a fazer um projecto para o futuro, olhando para o que já fez pela selecção principal e pelas selecções de formação.
 Aliás, os adeptos perguntam se é culpa do treinador quando uma selecção sofre três golos no tempo de compensação das compensações, em três cruciais jogos (Guiné-Bissau cá e lá e Namíbia cá) ou se merece uma oportunidade de fazer valer o seu potencial para ajudar a selecção a ultrapassar essas dificuldades de saber gerir o tempo quando necessário.

 A pergunta que não quer calar agora é qual será a posição da Federação Moçambicana de Futebol face a este pedido da onda vermelha para manter o seleccionador nacional, Abel Xavier por mais dois anos?

O PAIS

domingo, 24 de março de 2019

Peço desculpas ao povo moçambicano

treinador dos mambas
Foi triste para o povo moçambicano, muitos gastaram o pouco dinheiro que tinham para comer e pagaram a subscrição de TV por Satélite para poder acompanhar a vitoria que iria levar os Mambas ao can 2019, mas no ultimo minuto moçambicanos viram esse sonho falhar.

 Abel Xavier treinador da selecção nacional de futebol pediu desculpas pelo sucedido. "Obviamente é com muita tristeza que falhámos o objectivo. Falando concretamente do jogo, nós tínhamos definido uma estratégia. Penso que entrámos muito bem no jogo, fomos dominantes e o golo da Guiné-Bissau parte de uma situação inofensiva. Permitimos, sem grande caudal ofensivo, que pudessem estar à frente do resultado no final da primeira parte".

 Abel xavier falava em conferencia de imprensa depois da partida que eliminou moçambique da maior competição de futebol em África (CAN) O antigo internacional português, afirmou que na segunda parte fez uma "rectificação do ponto de vista técnico" e que a equipa entrou mais forte e conseguiu empatar.

 "A consequência do nosso jogo dominante fez com que conseguíssemos empatar. Tivemos mais domínio e conseguimos marcar", afirmou, salientando que foi um "pormenor" que deixou Moçambique fora da competição.

 A imprensa o técnico, Abel Xavier disse que Moçambique merecia estar no CAN, deixando uma palavra ao povo moçambicano, que "ansiava" pela presença da sua selecção numa grande competição, após muitos anos de ausência. "Eu peço desculpas pelo falhanço do objectivo e obviamente analisarei de uma forma mais profunda, porque foi um golpe muito duro", disse.

 Se você acha que Abel Xavier merece a segunda chance comenta ai em baixo deste post>>>

O Google  Google Notícias, é a ferramenta onde voce vai encontrar as noticias  filtradas através de um algoritmo e organizadas de acordo com a busca do usuário. 

Como colocar o meu blog no Google Notícias?


Para fazer o seu site aparecer no Google News você precisa seguir alguns passos antes de solicitar a aprovação do Google. Confira os três passos abaixo:

1. Criar um sitemap de notícias para o seu site

O primeiro passo para fazer o seu site aparecer no Google Notícias é criar um sitemap específico de notícias para ele e submeter no Google Webmaster Tools. É importante lembrar que, nesse sitemap você deve incluir apenas as notícias publicadas a menos de dois dias. Afinal, ninguém vai ler uma notícia antiga!
Se você ainda não sabe o que é um sitemap, ele nada mais é do que um arquivo do seu site, em xml, que auxilia o Google a identificar todas as páginas do seu site e localizar facilmente as informações.
Parece difícil, mas o Google facilita a nossa vida disponibilizando as orientações necessárias para criar o sitemap do Google News. Basicamente, o sitemap de notícias do seu site deve seguir esse padrão:
 <?xml version=”1.0″ encoding=”UTF-8″?>
<urlset xmlns=”http://www.sitemaps.org/schemas/sitemap/0.9″
xmlns:news=”http://www.google.com/schemas/sitemap-news/0.9″>
<url>
<loc>http://www.sitedenoticias.com.br/categoria/titulo-da-noticia-12345</loc>
<news:news>
<news:publication>
<news:name>Nome do site de notícias</news:name>
<news:language>pt</news:language>
</news:publication>
<news:publication_date>2011-01-15</news:publication_date>
<news:title>Título da notícia</news:title>
<news:keywords>palavra1, palavra2, palavra3</news:keywords>
</news:news>
</url>
</urlset>

2. Cadastrar o sitemap no Google Search Console (Webmaster Tools)

Depois de criar o sitemap do Google News para o seu site, você deve cadastrar esse arquivo no Google Webmaster Tools. Para isso, você precisa usar uma conta do Google. Após isso, tudo o que você precisa fazer é acessar o site do Google Webmaster Tools e fazer login na ferramenta. Depois disso, basta clicar em “adicionar um site” e inserir a URL da home do seu site.
O Google Notícias oferece uma série de categorias para as notícias. Portanto, sua notícia precisa se encaixar em alguma dessas categorias:
  • Artes/Entretenimento
  • Negócios
  • Educação
  • Saúde
  • Humor
  • Lei e Ordem
  • Estilo de Vida/Lazer
  • Local
  • País
  • Editorial
  • Política
  • Religião
  • Ciência/Meio Ambiente
  • Esportes e Jogos
  • Tecnologia
  • Curiosidades
  • Internacional

3. Realizar o cadastro no Google News

O último passo que você deve seguir para fazer o seu site aparecer no Google News é, justamente, realizar o cadastro na plataforma. Para isso, é preciso se atentar com alguns pontos.
Se o seu site atende a todas as exigências do Google que enumeramos nesse artigo, basta solicitar a inclusão do seu site na plataforma. Você pode fazer isso de forma rápida e fácil, basta preencher o formulário de cadastro do Google Notícias. Após isso, você verá a mensagem “Pedido de inclusão enviado”.
Feito isso, o Google News dá um prazo de até três semanas para avaliar sua solicitação e incluir o seu site no banco de dados. Por isso, é muito importante garantir que todos os requisitos foram atendidos para não perder tempo com possíveis reprovações.
Você poderá acompanhar o status da sua solicitação acessando a Central do Editor do Google News. Lá você poderá ver se seu site foi aprovado ou rejeitado. Se for aprovado, você verá a mensagem “Incluído” e se for rejeitado, você verá a mensagem “Análise concluída: site rejeitado”.

Diretrizes do Google News

Chegamos em um momento do artigo destinado a revisar as diretrizes do Google Notícias, tanto as diretrizes gerais como as diretrizes técnicas, a fim de garantir que você esteja com os requisitos na ponta da língua para fazer o seu site aparecer no Google News.

Diretrizes Gerais

  • Escreva notícias sobre eventos recentes;
  • Compartilhe conteúdo original;
  • Seja responsável e transparente;
  • Não faça declarações falsas sobre você nem sobre seus objetivos;
  • Limite os anúncios;
  • Escreva notícias, nada sobre seus produtos;
  • Faça um site fácil de usar.

Diretrizes Técnicas

  • URL fixos e exclusivos para as notícias;
  • Links para notícias em HTML, o Google não rastreia JavaScript;
  • Formato de artigos não pode ser em PDF, apenas em HTML;
  • Robots.txt precisa ser facilmente acessado pelo Googlebot-news;
  • Não é possível incluir conteúdo multimídia.
Lembre-se de revisar as directrizes exigidas pelo Google News e de garantir que o seu site esteja bem estruturado para garantir um bom posicionamento na SERP (página de resultados de pesquisa). Para te ajudar com essas acções, é importante trabalhar um projeto de SEO bem estruturado e definido de acordo com os seus objectivo de marketing.

Como aumentar o tráfego com o Google News

O primeiro passo para aumentar o tráfego é produzir um conteúdo bem desenvolvido para o seu site. Isso porque, quando você tem um conteúdo bem desenvolvido no seu site, os buscadores dão destaque e melhor posicionamento nos resultados de busca.
É claro que, quanto mais o seu site apresentar conteúdo relevante para os leitores, melhores serão os seus resultados, por isso, é muito importante conhecer o seu leitor e desenvolver conteúdos relevantes para ele.
Um ponto importantíssimo para garantir que os resultados do seu site melhorem com o Google Notícias é manter o conteúdo do seu site sempre actualizado. Além disso, as notícias do Google News podem aparecer nos resultados de busca integradas aos demais resultados, e isso pode aumentar o tráfego orgânico do seu site.
Na verdade, não existe uma “receita de bolo” de como conseguir tráfego orgânico com o Google News. Entretanto, listamos algumas acções que podem te ajudar com isso:
Escreva notícias originais: o seu site precisa ser uma fonte confiável de notícias para que o Google News o inclua nos resultados de busca.
Crie notícias objectivas: as notícias do seu site devem atrair os leitores. Quando apresenta notícias objectivas, você aumenta o alcance dessas notícias.
Escreva notícias frequentemente: isso vai te ajudar a aumentar seu volume de acessos, além de manter seu site sempre actualizado.
Construa popularidade e autoridade para o seu site: para isso, um projecto de SEO é fundamental, pois vai te ajudar a dar os primeiros passos para que o seu site comece a conquistar popularidade e, aos poucos, construir autoridade. Esse é um processo a longo prazo, que deve ser bem estruturado desde o início, por isso é muito importante ter um bom projecto de SEO. Faça uma consultoria de SEO com a MZclick para garantir um projecto de SEO eficaz para o seu site.

sábado, 23 de março de 2019

sexta-feira, 22 de março de 2019

JÁ SÃO CONHECIDOS OS JOGADORES_MAMBAS QUE IRÃO DERROTAR GUINE-BISSAU

O seleccionador dos Mambas, Abel Xavier convocou, quinta-feira, 26 jogadores nacionais para o último jogo de 23 de Março, contra Guiné-Bissau, a contar para a qualificação ao CAN-2019, no Egipto. Na lista dos eleitos o destaque vai para a inclusão de cinco atletas sub-23. A equipa técnica dos Mambas já está a preparar o jogo do grupo “K” contra a Guiné-Bissau. Na lista divulgada hoje, Abel Xavier apenas revelou nomes de jogadores que actuam no campeonato nacional, sendo que a convocatória final incluindo jogadores internacionais será conhecida no dia 14 de Março.

 “Definimos o estágio pré-competitivo como essencial e extremamente importante face o objectivo prioritário na preparação da equipa da melhor maneira possível, para defrontarmos a Guiné-Bissau na última jornada do grupo K ”, disse o timoneiro dos Mambas, na sua primeira intervenção na conferência de imprensa, onde igualmente fez saber que fazem parte dos convocados cinco jogadores das selecção nacional dos sub-23.

 “Temos cinco jogadores que estão na faixa etária dos sub-23, queremos estimular incorporando no grupo sénior, porque achamos extremamente importante para potencializar e trabalharmos os aspectos importantes para a seleccão sub-23, que em simultâneo tem um jogo contra o Zimbabwe”, esclareceu. Para Abel Xavier, o objectivo do estágio pré-competitivo é elevar o índice competitivo derivado dos “desiquilíbrios que temos no nosso Moçambola. Podemos dizer que temos três grupos para serem trabalhados. O grupo das equipas da capital está a ser potenciado com a realização do torneio Mavila Boy. Temos o grupo dos clubes das províncias que estão com mais défice competitivo a nível nacional.

Mais tarde iremos ter o grupo dos internacionais moçambicanos, que está a uma densidade de jogo do último terço e que teremos que fazer uma gestão do nosso trabalho. São grupos que queremos nivelar considerando os problemas competitivos”. Mais adiante o técnico afirmou que no dia 4 de Março será a concentração dos jogadores que actuam intramuros, com viagem à África do Sul. No dia 18 será a concentração dos jogadores que militam em equipa estrangeiras, também na África do Sul. “Significa a perspectiva da convocatória final será feita no dia 14. A viagem está contemplada no dia 21.

Prevemos que o jogo seja no dia 23, às 17 horas de Maputo e 15 horas de Bissau”, frisou Abel Xavier. Abel Xavier reconhece que o jogo é de extrema importância, pelo que irão jogar para ganhar, pois, em caso de derrota, a equipa não qualifica para o Campeonato Africano das Nações 2019. “A Guiné tem que ganhar o jogo da mesma forma que nós temos que ganhar. Na primeira jornada do grupo CAN fomos conseguir um resultado histórico com a vitória na Zâmbia.

Do ponto de vista de crença podemos ganhar fora e grupo demostrou isso. Se uma equipa conseguiu ganhar e eliminar a Zâmbia do CAN, obviamente que se somos dois favoritos, sabemos que somos capazes. Os jogadores são os protagonistas, vamos criar as melhores condições possíveis para que possamos todos trazer a vitória”, lembrou do jogo contra os Xipolopolo, como forma de mostrar que a vitória é possível na Guiné-Bissau.

 Na Tabela de classificação do Grupo K, os Mambas estão em terceiro lugar, com sete pontos, numa lista lidera pela Guiné-Bissau e Namíbia, ambos com 8 pontos. Moçambique parte para Guiné-Bissau no dia 21 do próximo mês com uma delegação composta por 47 membros, entre jogadores, equipa técnica, médicos, entre outros.

O PAIS

ANTÓNIO MUCHANGA PROPÕE ADIAMENTO DO RECENSEAMENTO ELEITORAL

Segundo António Muchanga, que representou a Renamo no encontro realizado pela CNE com os partidos políticos para discutir os passos a seguir depois dos efeitos causados pelo Ciclone IDAI, “tendo em conta que a formação foi interrompida, não há condições para o recenseamento eleitoral arrancar no dia 1 de Abril”. Segundo ele, a Renamo propõe que o recenseamento inicie nas zonas que não foram afectadas num espaço de um mês, se até lá as zonas afectadas não oferecerem condições. Mas tarde, usar-se ia os equipamentos usados nas zonas seguras para reforçar as zonas afectadas. “Se falhar a realização de eleições falhar no dia 15 de Outubro, elas devem ser realizadas, o mais tardar até 15 de Novembro, porque depois disso, vem outra época chuvosa”, disse Munchanga.

quinta-feira, 21 de março de 2019

DAVIZ SIMANGO TRABALHANDO NA RECUPERAÇÃO DA CIDADE


Contrariamente ao que algum jornal electrónico escreveu que Daviz Simango sumiu ou não era visto na cidade aqui trazemos as imagens do edil da beira empenhado das 6 da manha muitas vezes ate para alem das 22 horas no campo a dirigir as várias equipas de limpeza e melhoramento da urbe

Transitabilidade no troço Nhamatanda-Beira será reposta em 10 dias



A Empresa Chinesa sub-contratada para as obras de reabilitação e melhoramento da estrada nacional numero-6, entre Machipanda em Manica e Beira em Sofala, garante que em 10 dias será reposta a transitabilidade de pessoas e bens no troço Nhamatanda-Beira.

Esta terça-feira os trabalhos iniciaram sobre o rio Haluma visando a reposição da transitabilidade do distrito de Nhamatanda à cidade da Beira.

Américo dos Santos, da empresa que realiza os trabalhos, garantiu que até ao próximo sábado, as viaturas poderão transitar sobre o rio Haluma.

 (RM Manica)

quarta-feira, 20 de março de 2019

Renamo critica actuação do Governo e os dados apresentados

ciclone idai
A Renamo convidou, hoje, a comunicação social para manifestar a sua indignação em relação ao drama vivido pelas vítimas do Ciclone Idai, na região Centro do país. Segundo a perdiz as famílias afectadas estão numa situação deplorável, sem salvamento, pois algumas continuam penduradas em cima das suas residências, infra-estruturas do Estado, sem acesso à água potável, alimentação e nem local para dormir.

"A Renamo manifesta a sua solidariedade com todos os moçambicanos afectados pelo Ciclone Idai na região centro do país e nos distritos de Govura e Vilanculos. O sentimento que temos é de que devíamos ter mais informações da realidade no local e não do jeito como as autoridades e jornalistas tem mostrado, indo apenas nos locais onde os dirigentes vão". Disse Juliano Picardo, assessor político do líder da Renamo

A fonte diz que o solo onde poderia se realizar os enterros está alagado. No berçário do Hospital Central da Beira todas crianças perderam a vida, assim como as mães que estavam em serviços de parto.
Por outro lado, a perdiz entende que os apoios recebidos pelas autoridades nos centros de acomodação e não só não estão a ser canalizados às vítimas.

"Neste momento não precisamos de gravatas, fatos e coletes para aparecer nas televisões, mas sim de jovens munidos de instrumentos tais como catanas, motosserras, país, ancinhos, carrinhos de mãos para tornar as ruas transitáveis. Precisamos de técnicos médios das nossas instituições para ajudarem na remoção dos postes de energia eléctrica que tombaram e outros que ainda se encontram submersos", disse Picardo

Durante a sua intervenção, o assessor político do líder da Renamo, Juliano Picardo, desafiou ainda as Forças de Defesa e Segurança a se envolverem cada vez mais no apoio a estrutura municipal na recolha dos resíduos sólidos na cidade da Beira, colocando os veículos militares de transporte ao serviço do cidadão.

O representante da Perdiz terminou a sua intervenção acusando os dirigentes das instituições do Estado de estarem a desviar os produtos que vão chegando para servir as populações. Tendo em seguida exortado aos comerciantes a evitarem oportunismo nesta época sensível.

"Apelamos aos agentes económicos locais que não sejam oportunistas inflacionando preços de produtos básicos e de igual modo exortamos uma acção governativa de Inspecção e fiscalização da actividade comercial". Concluiu o assessor político do líder da Renamo

O PAIS

segunda-feira, 18 de março de 2019

MAU TEMPO PARA A ZONA SUL DO PAIS

Resultado de imagem para vendaval


INAM prevê chuvas fortes, trovoadas severas e ventos com rajadas fortes, nas províncias de Gaza, Inhambane, Manica, Sofala e em alguns distritos da província de Tete.

De acordo com o Instituto Nacional da Meteorologia serão afectados pelo mau tempo, na zona Sul do país todos os distritos de Govuro, Inhassoro, Vilankulo, Mabote, Funhalouro, Morrumbene e Massinga. Por fim, na província de Gaza o INAM avança que a intempérie poderá ser registada nos distritos de Massangena, Chicualacuala, Mapai, Mabalane, Massingir e Chigubo.

Já na zona centro do país as províncias considerados de risco são as de Sofala, Manica e ainda os distritos de Changara, Mutarara, Doa, Marávia, Chifunde, Marara, Zumbo, Cahora Bassa, Moatize, Chiuta e Cidade de Tete, na província de Tete.

Lê-se ainda no comunicado que o INAM prevê a continuação de ocorrência de chuvas persistentes em regime forte a muito forte, ventos com rajadas fortes até 60 quilómetros por hora e trovoadas severas, que poderão se prolongar até quinta-feira, 21 de Março nas áreas acima indicadas.

Prevê-se ainda a ocorrências de chuvas fracas a moderadas acompanhados por vezes de trovoadas e ventos com rajadas nas províncias da Zambézia e Niassa.

O INAM apela para a tomada de medidas de precaução e segurança, face ao risco associado as chuvas, trovoadas e ventos muito fortes

sábado, 16 de março de 2019

Filipe Nyusi Encurta a visita ao reino de Eswatini depois de ser criticado

Yaqub Sibindy
Yaqub Sibindy atraves das suas redes sociais Criticou duramente o Chefe do estado Moçambicano Filipe Jacinto Nyusi por ter viajado para Eswatini no momento em que o centro de moçambique estava a ser fustigado pelo ciclone IDAI.

A critica repercutiu de tal forma que chegou ao presidente da republica que de imediato resolver interromper a visita e regressar ao seu pais para ver de perto o que o seu povo esta a passar.

Para alem do Yaqub Sibindy, vários internautas também criticaram severamente a atitude deste que e o empregado do povo moçambicano.

As críticas ao Chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, iniciaram na tarde desta sexta-feira (15) tudo por conta da visita de trabalho que o Presidente efectuou à República de Eswatini.
Mas a visita de trabalho do presidente da república nunca foi problema ou motivo de críticas severas.

As críticas estão relacionadas com o momento em que Filipe Nyusi, decidiu seguir viagem à Eswatini, deixando para trás os moçambicanos da região centro a sua própria sorte, assemelhando assim a um pai que abandona os seus filhos em os mesmos estão em apuro, isto é, sendo assolados pelas calamidades naturais (Cheias e Ciclone) segundo os internautas.

sexta-feira, 15 de março de 2019

O POVO QUER COMO NÃO VAI TER QUE PAGAR AS DIVIDAS OCULTAS

O governo não conseguiu provar que as garantias das dividas Ilegais não foram assinadas por um agente do Estado e nesse âmbito, sejam as dividas legais ou ilegais elas deverão ser pagas.

Adriano Maleiane falava na assembleia da republica que apesar dos últimos contornos as dividas ocultas devem ser pagas.

Maleiane acredita que o povo deve ser sacrificado em nome de um "bom nome" internacional de Moçambique e não ser chamado de caloteiro.

veja a seguir o video onde o Ministro da Economia e finanças fala perante os deputados da Assembleia da Republica.

The Order of Yoni - Pretende instalar sua fabrica em Moçambique

Depois da Inauguração da fabrica de cerveja Heiniken Moçambique, a empresa Polonesa The Order of Yoni, a fabricante da Cerveja com o mesmo nome, produzida na base da Vagina, mostrou interesse em produzir esta cerveja em Moçambique e usando modelos moçambicanas, sem citar os nomes...
mas através de uma fonte soubemos que trata-se de 4 cantoras moçambicanas pré-seleccionadas que serão convidadas para o possível contrato se a cervejaria conseguir instalar a sua fabrica em Moçambique.

Mas como e produzida essa cerveja?
The Order of Yoni  ou Ordem de Yoni, onde a palavra “yoni” significa “vagina” em sânscrito, o produto é feito com “essência vaginal” de um selecto grupo de modelos.

Para se obter a tao apreciada bebida é recolhido o ácido láctico obtido de modelos lindas a maior parte delas são aquelas  que costumam posar de lingerie.
No processo da produção são empregues técnicas de microbiologia para examinar e isolar a “essência”, e juntam tudo com o restante dos ingredientes para preparar a gostosa e saborosa bebida.


Historia da cerveja
A deliciosa cerveja começou a ser comercializada na Polônia por 25 zloty a garrafa o que seria equivalente a cerca de 412,00Mt por garrafa, com este valor na Polónia compra-se uma garrafa de vinho mas, para convencer as pessoas principalmente os homens a desembolsar este dinheiro e levarem a “essência de vagina” para casa, a Empresa fez um vídeo promocional bem sugestivo (que vale a pena ver...)

 

No video podemos ver, as modelos lindas, com as cervejas enquanto rola um papo aranha (tu-dum-tsss) de “liberar fantasias”, “sussurros no ouvido”, “provar seu sabor”, “sentir seu cheiro” e outras coisas provocações do gênero.
Acho que a marca será bem recebida em Moçambique.

Muchanga Apoia a candidatura de Samora Machel Júnior as Presidenciais.

O Deputado da RENAMO António Muchanga falando na assembleia da republica deu o seu apoio incondicional ao filho do Antigo presidente da republica popular de Moçambique Samora Machel Junior.

  
Muchanga disse também que os Moçambicanos sabem que alguns dos nossos dirigentes partirão para os EUA para responder pelos seus actos que é o caso do antigo Ministro da Defesa.

quarta-feira, 13 de março de 2019

VEM AI O "PERIGOSO E PODEROSO" CICLONE TROPICAL IDAL

Ciclone Idai
Alerta a CRUZ VERMELHA INTERNACIONAL
Moçambique está em alerta máximo enquanto o ciclone tropical Idai se dirige para a costa central do país. Equipes de resposta a desastres da Cruz Vermelha nas províncias da Zambézia e Sofala estão preparando planos de resposta antecipando a chegada do ciclone no final da semana.

A Drª Fatoumata Nafo-Traoré, Diretora Regional para a África da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (IFRC), disse:

“Este perigoso e poderoso ciclone pode representar um risco extremo para dezenas de milhares de pessoas em Moçambique. Nossas equipes estão em alerta máximo em antecipação de uma aterrissagem potencialmente destrutiva.

“Encorajamos as pessoas em Moçambique a permanecerem alertas, a seguir as previsões meteorológicas e a responder imediatamente a quaisquer mensagens de aviso que sejam retransmitidas pelas autoridades”.

Segundo os meteorologistas, a intensidade de Idai é igual à de um furacão do Atlântico da categoria 3. No entanto, no seu pico de intensidade, pode atingir o equivalente a um furacão de Categoria 4 ou mesmo a um furacão de categoria 5.

Dependendo de sua intensidade e trajectória, o Ciclone Idai também poderia exacerbar a situação no sul do Malawí, onde mais de 115.000 pessoas foram afectadas por inundações severas. No Malawi, as equipes de busca e salvamento da Cruz Vermelha transportam as pessoas presas pela água crescente para a segurança, além de distribuir itens básicos de socorro em seis dos distritos mais afectados.

Moçambique é regularmente atingido por ciclones. Em fevereiro de 2007, o ciclone Favio danificou ou destruiu 130.000 casas e desalojou dezenas de milhares de pessoas. Em 2000, o ciclone Eline atingiu um centro de Moçambique já afectado pelas cheias, deixando cerca de 463.000 pessoas sem abrigo. Juntas, as inundações e o ciclone mataram cerca de 700 pessoas

segunda-feira, 11 de março de 2019

PARTIDOS POLÍTICOS NÃO CONHECEM AS LEIS ELEITORAIS

Presidente da CNE
Abdul Carimo está no fim do mandato de seis anos como presidente da Comissão Nacional de Eleições. Carimo diz que constatou com preocupação durante o seu mandato falta de maturidade dos principais actores políticos.

“Há uma enorme desconfiança dos partidos políticos entre si, órgãos de gestão eleitoral e sociedade civil. Essa desconfiança não ajuda quando temos processos eleitorais”, disse Carimo

Para Carimo essa desconfiança deve-se a falta de conhecimento daquilo que é a legislação, falta de conhecimento dos procedimentos ou a falta de capacidade por parte dos partidos políticos em acompanhar o processo eleitoral.


Embora o orçamento para o processo eleitoral deste ano não esteja fechado na totalidade, Abdul Carimo tem fé que a qualquer custo às eleições vão ter lugar este ano.

O PAIS

COMICHE QUER ELIMINAR CORRUPÇÃO NA POLICIA MUNICIPAL

ENEAS COMICHE DECLARA TOLERÂNCIA ZERO CONTRA AGENTES CORRUPTOS
O Presidente do Conselho Autárquico de Maputo, a capital moçambicana, Eneas Comiche, avisa que vai ser implacável contra os agentes corruptos e que promovam comportamentos desviantes nas fileiras da Polícia Municipal.

Comiche, que falava por ocasião das celebrações do Dia da Polícia Municipal, que hoje assinala mais um aniversário da sua criação, exige uma actuação que observe os princípios éticos e deontológicos da profissão, policiais que espelhem a boa conduta.


“Não vamos tolerar comportamentos que vão contra a ética e a moral. Não iremos permitir que agentes corruptos manchem a reputação da corporação sem que sejam severamente punidos. Somos contra todo e qualquer tipo de comportamento desviante no seio, e exorto ao Comando da Polícia para que trate, de forma exemplar, os casos que lhes chegar às mãos”, frisou...

(AIM)

UM MOÇAMBICANO MORTO NO AVIÃO

ETHIOPIAN AIRLINES



A Ethiopian Airlines já divulgou a lista dos passageiros do Boeing 737-800 MAX que despenhou esta manhã, seis minutos após a descolagem perto da cidade de  Bishoftu, quando fazia a rota Adis Abeba-Nairobi.

De acordo com o jornal online Observador dentre os mortos há um moçambicano. Para além do moçambicano tem também 32 do Quénia, 18 do Canadá, 9 da Etiópia, 8 da China, 8 de Itália, 8 dos EUA, 7 do Reino Unido, 7 de França, 6 do Egipto, 5 da Holanda, 4 com passaporte das Nações Unidas, 4 da Índia, 3 da Rússia, 2 de Marrocos, 2 de Israel, 1 da Bélgica, 1 do Uganda, 1 do Iémen, 1 do Sudão, 1 de Togo e 1 da Noruega.


Contudo, esta lista não abrange a totalidade das vítimas, faltando ainda identificar a nacionalidade de 19 passageiros e da tripulação.
👆🏼Marcelino Tayob estava no voo da Ethiopian airlines que se .despenhou esta manhã.
É Moçambicano funcionario das Naçoes Unidas, residente em Harare.
O PAIS

SAMORA MACHER JR. SERÁ EXPULSO DA FRELIMO?

Samito Junior
A Frelimo, através do Secretário do Comité de Verificação, Raimundo Diomba disse hoje que Samora Machel Júnior pode ser expulso do partido por violação dos estatutos.

Quanto ao Manuel Chang, Diomba diz que o partido aguarda pelo desfecho do processo que corre na administração da justiça.

Esta é a primeira vez que o secretário do Comité de Verificação do partido Frelimo Raimundo Diomba se pronuncia sobre o caso que envolve o Samora Machel Júnior.

Numa entrevista concedida ao jornal O País, Raimundo Diomba, que também é governador da província de Maputo, disse que não restam dúvidas que Samito violou os estatutos do partido e não descarta a possibilidade deste ser expulso. Quanto ao caso de Manuel Chang, Diomba diz que o partido aguarda pelo desfecho do processo que corre na administração da justiça.

Para o Secretário-geral da Associação dos Combatentes da Luta de Libertação Nacional (ACLLN), Fernando Faustino o comportamento desviante de Samora Júnior e Manuel Chang não vai afectar a imagem do partido


Raimundo Diomba
Lembre-se que a alínea e) do artigo 13 dos Estatutos da Frelimo considera a expulsão como a sansão mais grave que só tem lugar em violações graves.


De acordo com o número 9 do mesmo artigo, a pena de expulsão “implica a cessão definitiva de qualquer vínculo do membro com o partido e só poderá ser aplicada por falta grave, nomeadamente, o desrespeito aos princípios programáticos essenciais e a linha política do partido, a inobservância dos Estatutos, regulamentos e decisões dos órgãos, a violação dos compromissos assumidos e em geral a conduta que acarrete serio prejuízo ao prestígio e bom nome do partido.” Fim da citação

domingo, 10 de março de 2019

JULGAMENTO ADIADO: Pedido de extradição para os Estados Unidos de América

manuel chang
O julgamento do pedido de extradição para os Estados Unidos de América de três antigos banqueiros do Credit Suisse acusados de envolvimento no processo de dívidas ocultas de Moçambique foi adiado para 29 de março no Tribunal de Magistrados de Westminster, em Londres.

A imprensa internacional fala do adiamento do julgamento do neozelandês Andrew Pearse, antigo diretor do banco Credit Suisse, o britânico Surjan Singh, diretor no Credit Suisse Global Financing Group, e a búlgara Detelina Subeva, vice-presidente deste grupo, que aguardam a extradição para os Estados Unidos, na sequência de um processo por “fraude de grande escala” pela justiça norte-americana.

Os três suspeitos foram detidos no dia três de Janeiro e estiveram presentes no tribunal, na última sexta-feira, mas foram libertados e renovadas as medidas de coação, nomeadamente a apresentação regular numa esquadra de polícia.

Andrew Pearse, Surjan Singh e Detelina Subeva são acusados de contornar e defraudar os sistemas de controlo interno dos bancos, de omitir informações importantes sobre a probabilidade da corrupção nestas transacções e de eliminar e substituir regras impostas pelo grupo financeiro.

O processo iniciado pela justiça norte-americana aguarda também a extradição do antigo ministro das Finanças de Moçambique Manuel Chang da África do Sul, enquanto o negociador do grupo de construção naval Privinvest, o libanês Jean Boustani, já está detido nos Estados Unidos.

Todos são acusados de envolvimento num esquema de corrupção que lesou o Estado moçambicano em 2.2 biliões de dólares, devido a empréstimos ocultos às empresas Ematum, Proindicus e MAM, garantidos pelo Estado moçambicano, cujos valores foram desviados para enriquecimento próprio dos suspeitos.

O caso vai ser julgado ao abrigo da Lei Norte-americana das Práticas de Corrupção Estrangeiras, que condena o pagamento de subornos a membros de governos estrangeiros para aprovação de negócios em benefício próprio.


Desde 2016, após a revelação das dívidas ocultas, os parceiros de cooperação suspenderam vários apoios a Moçambique, incluindo o Fundo Monetário Internacional, contribuindo para a degradação das perspectivas económicas do país.

O PAIS

ACIDENTE DO AVIÃO MATA 157 PESSOAS

ACIDENTE AÉREO


Não há sobreviventes no acidente aéreo da companhia Ethiopian Airlines. O acidente aéreo de hoje que envolveu o avião da companhia Ethiopian Airlines, quando fazia a ligação entre Adis Abeba e Nairobi, no Quénia, pelas 08:44 minutos com 157 pessoas a bordo, não deixou ninguém escapar. Morreram todos os ocupantes incluindo os tripulantes, a informação acaba de ser dada à imprensa por um porta-voz da companhia. Entretanto, ainda não foram apuradas as nacionalidades de cada vítima, triste situação.  
Paz às almas.

sábado, 9 de março de 2019

RENAMO EM CHAMAS

RENAMO
Centenas de membros da Renamo, residentes na cidade da Beira e oriundos dos distritos da província de Sofala, que apoiam o delegado eleito Sandura Ambrósio e que tem estado  contra o delegado indicado por Ossufo Momade, mobilizaram-se na manhã desta sexta-feira junto a sede provincial da Renamo e reocuparam as instalações onde no passado dia  25 de Fevereiro foram escorraçados.
A polícia que já sabia das intenções do grupo tentou impedir a marcha do mesmo a  menos de 100 metros das instalações, mas estes seguiram firme até a sua sede.

Os portões estavam fechados  e mais um contingente policial tentou impedir o avanço deste grupo. A força policial foi dominada, enquanto uns arrombavam os portões outros saltavam o muro de vedação. Os poucos membros que se encontravam foram convidados a abandonar as instalações,  e depois de tomarem a sede festejaram.


Refira-se que a reocupação da sede da Renamo acontece numa altura em que uma brigada central do partido Renamo, chefiada pelo General Hermínio Morais, que está nos distritos de Sofala. Esta brigada destituiu nesta quinta-feira o delegado distrital de Machanga e indicou um novo delegado. O mesmo poderá acontecer nesta sexta-feira no distrito de Chibabava.

O PAIS

Ângela Leão e Fabião Mabunda, (TEAM CHANG) Detidos

GREGORIO LEÃO
Últimos arguidos detidos no âmbito do processo que investiga as dívidas ocultas, Ângela Leão e Fabião Mabunda foram presentes na tarde desta sexta-feira ao juiz de instrução criminal para o primeiro interrogatório.

Ângela Leão, esposa do também arguido Gregório Leão, antigo director-geral dos serviços secretos (SISE), foi a primeira a ser ouvida pelo juiz e mais tarde foi a vez de Fabião Mabunda.
Após cerca de quatro horas de audição, o juiz decidiu aplicar a medida de coação máxima aos dois arguidos, o que significa que vão aguardar em prisão preventiva as fases subsequentes do processo 1/PGR/2015.

Tal como aconteceu com outros arguidos das dívidas ocultas, Ângela Leão e Fabião Mabunda deixaram o tribunal judicial da capital em viaturas descaracterizadas do Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), que usaram a saída do Palácio da Justiça, na avenida 25 de Setembro.

Os investigadores que estão em frente do processo acreditam que Fabião Mabunda era apenas um testa de ferro da família Leão. Através da sua empresa M Moçambique Construções, Mabunda recebeu milhões de dólares da Privinvest (a distribuidora dos subornos das dívidas ocultas) e usou o dinheiro para a compra e/ou construção de casas para a família Leão.


Com a manutenção da prisão preventiva de Ângela e de Mabunda, sobe para 10 o número de arguidos que aguardam na cadeia os ulteriores trâmites processuais.

#OPAIS

PAULO VAHANLE NÃO ESTA A CONSEGUIR PAGAR FUNCIONÁRIOS EM NAMPULA

PAULO VAHANLE
Cerca de 2000 funcionários do Conselho Autárquico de Nampula estão com atraso do salário de Fevereiro.
A edilidade diz que o problema deve-se à demora na transferência do Fundo de Compensação Autárquica, e o Fundo de Investimento e Iniciativas Locais que é assegurado aos municípios pelo governo central, através do Ministério das Finanças.

A espera tem sido longa e imprevisível. Até ontem foi pago o décimo terceiro salário de 2018 e o mês de Fevereiro continua em dívida.

A crise não é apenas do Conselho Autárquico de Nampula, mas sim um cancro há muito diagnosticado em quase todos os municípios, e chama-se “insustentabilidade financeira”.

sexta-feira, 8 de março de 2019

MANUEL CHANG PODE SER EXTRADITADO DEPOIS DE OUTUBRO

O procurador J.J. Du Toit fez a entrega da notificação sobre a entrada do pedido de Moçambique, explicando que os dois pedidos foram, na verdade, assinados pelo Ministro da Justiça no mesmo dia. Entretanto o Ministério Público continua a defender que a análise dos pedidos de extradição deve ser feita por juízes diferentes.
O procurador colocava neste momento os seus argumentos, defendendo que pode ser o mesmo juiz a analisar os dois pedidos mas não pode ser ao mesmo tempo. Rebate ainda os argumentos da defesa segundo os quais já existe uma decisão tomada: "o ministro tem poder para mandar-nos parar com as audições, mas ele ainda não faz. Isso mostra que ainda não existe decisão tomada".
Juiz recusa pedido do CIP para ser amigo do tribunal 
O juiz William Schutte acaba de decidir que os pedidos de extradição de Moçambique e dos Estados Unidos não podem ser analisados em conjunto. Afirma o juiz que a Secção C do Tribunal de Kempton Park já recebeu o pedido dos Estados Unidos e está limitado a analisar o pedido que recebeu.
A decisão do juiz teve como base das datas e o lugar em que os crimes foram cometidos, a nacionalidade do arguido, o interesse dos dois países concorrentes, a ordem de entrada dos pedidos. Teve em conta ainda o lugar de residência de Manuel Chang.
"O que a ministra dos Relações Internacionais disse não constitui nenhuma evidência de que alguma decisão já tenha sido tomada", disse o juiz comentando sobre um dos argumentos da defesa.
Assim, terá de ser indicado um outro juiz para analisar o pedido submetido por Maputo. A próxima audição fica marcada para segunda-feira, dia 11 de Março.
O advogado Willie Vermeleun acaba de revelar que Manuel Chang afirmou que quer ser extraditado para Moçambique não para os Estados Unidos. O juiz questionou se o facto de aceitar ir para Moçambique não será pelos benefícios que poderá ter por ser um deputado e antigo membro do Governo. O advogado respondeu que Manuel Chang disse que os Estados Unidos é um país estranho onde dificilmente pode conseguir estar em liberdade provisória, enquanto aguarda o desfecho do caso. Algo que em Moçambique pode acontecer.
O advogado defende que é preciso considerar o lugar, as datas onde os crimes foram cometidos e que Estado tem maior interesse de ver o caso julgado. Acrescentam que vai ser injusto se o tribunal decidir pela análise em separado.
Rebatendo os argumentos do Ministério Público segundo os quais a análise dos pedidos deve ser em separado, o advogado de defesa afirmou que o juiz não está amarrado a nenhum pedido, refere-se ao pedido dos EUA - e explicando que a análise pode ser em simultâneo.
O Tribunal de Kempton Park acaba de recusar o pedido do Centro de Integridade Pública para que a organização fosse amiga do Tribunal, defendendo a extradição de Manuel Chang para os Estados Unidos.
O juiz William Schutte explicou que este caso é diferente de outros com os quais a justiça já se deparou e o tribunal não pode atribuir-se poderes que a Constituição não permite. O advogado contratado pela organização da sociedade civil moçambicana defendia que de acordo com a Constituição o juiz podia autorizar tal pedido.
O Tribunal, disse o juiz, não tem direito de criar leis. A aplicação foi assim rejeitada, porque o Tribunal justifica que não tem direito de decidir sobre aquela matéria
Ao fim de duas horas de audição, ficamos a saber que afinal a firma Hogan Lovells não foi contratada pelo Fórum de Monitoria do Orçamento (FMO), mas sim pelo Centro de Integridade Pública (CIP). Um documento da firma de advogados, que fez um pedido, está em nossa posse e revela que o CIP é quem contratou aqueles serviços para defender a extradição de Manuel Chang para os Estados Unidos.
No pedido que surpreendeu a todos, desde a Embaixada de Moçambique, o Ministério Público e a defesa, o CIP pede o direito à intervenções e perguntas ao longo das audições, através de argumentos orais e escritos. Está contra a extradição para Moçambique, porque o pedido dos Estados Unidos deu entrada em primeiro lugar e, segundo explica, o pedido de Moçambique não preenche todos os requisitos exigidos.
Depois de um pequeno intervalo, a audição acaba de retomar. O juiz também já anunciou que o remetente do pedido é o CIP, na qualidade de uma Organização da Sociedade Civil que trabalha na luta contra a corrupção.
Além dos advogados de Manuel Chang, estão hoje no Tribunal de Kempton Park advogados de uma firma sul-africana contratada pela Sociedade Civil moçambicana que está, neste momento, a pedir à justiça direito de palavra ao longo das audições sobre matérias ligadas a extradição para Moçambique.
A firma foi contratada pelas organizações que compõem o Fórum de Monitoria do Orçamento, que inclui organizações como Centro de Integridade Pública (CIP), Fundo para Desenvolvimento da Comunidade (FDC), dirigido por Graça Machel, entre outras. Na verdade, a Sociedade Civil quer ser uma espécie de amigo do Tribunal, "Friend-of-court", uma figura que permite ter a palavra ao longo das audições: o objectivo de fundo fornecer informações que pode ajudar a mostrar que Manuel Chang não pode ser extraditado para Moçambique.  
O advogado que representa a firma defende que, por força da Constituição da África do Sul, o juiz tem poderes para autorizar que eles apresentem o seu parecer sobre o processo. O Ministério Público, na voz do procurador J.J. Du Toit, diz que tem receios em relação ao pedido, mas revela que sequer recebeu um pedido com antecedência para que se pudesse analisar os argumentos.
A defesa do ex-ministro diz que o certo é que o Tribunal analise se tem direito de dar resposta ao pedido. E pela sua experiência, Willie Vermeleun defende que o juiz deve negar o pedido, porque não clarifica que poderes a Constituição dá a um tribunal de nível distrital para decidir sobre essas matérias. "Eles têm uma carta que defende que o senhor Chang deve ser extraditado para os Estados Unidos e não para Moçambique".
A primeira novidade do dia de hoje é que o pedido de extradição de  Moçambique foi recebido pelo Ministério de Justiça e foi emitido um mandato de captura contra Manuel Chang no dia 04 de Março passado a favor das autoridades moçambicanas.
Formalmente, as autoridades sul-africana detiveram hoje o deputado da Assembleia da República à pedido do seu país de origem que também pretende que responda por acusações levantadas no âmbito do processo 1/PGR/2015, instruído pela Procuradoria-Geral da República.
O representante do Ministério Público, J.J. Du Toit disse que caberá ao tribunal decidir sobre a análise dos dois pedidos em simultâneo ou não. Manuel Chang regressa ao banco dos réus para acompanhar debate sobre sua extradição.
Na última audição, havida no dia 26 de Fevereiro último, os advogados do ex-ministro das Finanças exigiram que a justiça analisasse em simultâneo os dois pedidos de extradição concorrentes, o de Moçambique e o dos Estados Unidos da América. O pedido de extradição dos americanos foi o primeiro a dar entrada no Ministério Público. E o de Moçambique ainda está a cumprir o protocolo exigido para que chegue às mãos do juiz.
A decisão sobre a autorização ou não para a análise em simultâneo ficou por ser decidida pelo Ministro da Justiça da África do Sul. Trata-se de uma questão para qual existirá, certamente, resposta assim que a audição iniciar.
Esta audição está mais concorrida que às outras,estando a sala repleta de pessoas que pretendem acompanhar por perto o processo. Os advogados e o Ministério Público já estão na sala. Falta chegar Manuel Chang e o juiz.

segunda-feira, 4 de março de 2019