mahungu

Total Pageviews

Pesquisar

Com tecnologia do Blogger.

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Fashion

Music

News

Desporto

Cupido

Technology

Featured

Videos

Seguidores

Translate

INSCREVA-SE

Nova Onda

NÃO SOU E NUNCA SEREI CABEÇA-DE-LISTA

chumbada a candidatura de Venancio Mondlane
Share it:
"Não sou e nunca serei cabeça de lista por esse partido"

Essas foram as palavras do Venâncio Mondlane, rejeitando a proposta do MDM para concorrer por este partido, confiante de que o seu sucesso só seria possível na Renamo, mas a vida reservou-lhe um destino bem diferente.


Um velho ditado diz o seguinte: não suje o prato onde voce comeu", mas o querido do povo Venâncio Mondlane contrariou esse ditado ao tentar daquela forma sujar o partido que lhe fez crescer e hoje colheu o fruto dessa traição e acabou estado na situação seguinte:

O Conselho Constitucional chumbou o recurso interposto pelo Partido Renamo e desta forma o cidadão Venâncio António Bila Mondlane, fica definitivamente fora da concorrência como cabeça-de-lista da Renamo, para o conselho autárquico de 10 de Outubro próximo. A decisão surge no âmbito do recurso interposto por esta formação política, em face de ter sido chumbada pela Comissão Nacional de Eleições, como cabeça-de-lista do Partido Renamo, para as 5ª Eleições autárquicas.

 O acórdão indica que “O Conselho Constitucional deliberou a exclusão da lista plurinominal fechada da autarquia da Cidade de Maputo, pelo Partido Resistência Nacional Moçambicano -Renamo, o candidato e cabeça de lista Venâncio António Bila Mondlane, por incapacidade eleitoral passiva, referente à renúncia de mandato, prevista nos termos dos nºs 4 e última parte do n.º 1, ambos do artigo 14 da Lei n.º 7/97, de 31 de Maio, conjugado com o n.º 3 do artigo18 da Lei n.º 7/2013, de 22 de Fevereiro, alterada e republicada, pela Lei n.º 10/2014, de 23 de Abril, aplicável à data da prática do acto e cuja norma a lei actualmente em vigor igualmente prevê nos precisos termos, previsto na alínea b) do artigo 13 da Lei n.º 7/2018, de 3 de Agosto.

Que a renúncia ao mandato é um direito atribuído aos titulares de cargos políticos, corolário do direito de ser eleito, e consiste numa declaração unilateral de vontade do renunciante, dirigida à entidade competente, segundo a Lei.




Fonte: Jornal Noticias



Share it:

politica_mocambicana

Post A Comment:

0 comments:

Desporto Internacional

Desporto

Desporto Moçambicano

Desporto